Gean's Blog

O WordPress

WordPress é um sistema de gerenciamento de conteúdos na web, escrito em PHP e corrido em MySQL, especialmente para a criação de blogs. WordPress foi criado a partir do já desaparecido b2/cafelog e é hoje, junto com o Movable Type, o mais popular na criação de Weblogs. As causas do seu rápido crescimento são, entre outras, seu tipo de licença (de código aberto), sua facilidade de uso e suas características como gerenciador de conteúdos. Criado por Ryan Boren e Matthew Mullenweg, é distribuído sob a GNU General Public License sendo gratuito.

Índice


Características

  • Gera XML, XHTML, e CSS em conformidade com os padrões W3C
  • Gerenciamento de ligações integrado
  • Estrutura de permalink amigável aos mecanismos de busca
  • Suporte extensivo a plug-ins
  • Categorias aninhadas e múltiplas categorias para artigos
  • TrackBack e Pingback
  • Filtros tipográficos para formatação e estilização de texto corretas
  • Páginas estáticas
  • Múltiplos autores
  • Suporte a tags (desde a versão 2.3)

História

O b2, precursor do WordPress, também foi escrito em PHP e com uso de MySQL por Michel Valdrighi, que agora é um desenvolvedor colaborador do WordPress. Apesar de ser o sucessor oficial desse sistema, outro projeto, b2evolution, está também em desenvolvimento ativo.

Criado em 2003, o WordPress era um esforço conjunto entre Matt Mullenweg e Mike Little para criar um fork do b2.

Em 2004 os termos de licença do seu concorrente Movable Type foram trocados por seus desenvolvedores, e grande parte de seus usuários migraram para o WordPress – causando um crescimento contínuo em sua popularidade.

Versões

Interface de Administração do WordPress

As versões do WordPress recebem nomes de conhecidos músicos de Jazz. Sua versão 1.0 recebeu o codinome Mingus, de Charles Mingus.

O WordPress 1.5 foi lançado em meados de Fevereiro 2005 e seu codinome foi Strayhorn, de Billy Strayhorn. Foram adicionadas uma série de novas implementações vitais. Uma delas foi a capacidade de gerenciar páginas estáticas. Isto permite que páginas de conteúdo sejam criadas e gerenciadas fora da cronologia normal do blog e foi o primeiro passo além do simples software gerenciador de blog para ser um CMS completo. Outra foi o novo sistema de temas/templates, que permite aos usuários ativar ou desativar skins para seus sites. O WordPress foi equipado com um novo template padrão (codinome Kubrick, de Stanley Kubrick) montado por Michael Heilemann.

Sua versão 2.0 foi lançada em Dezembro de 2005 e recebeu o codinome Duke, do pianista e compositor de jazz Duke Ellington. Nessa versão foram incluídos o rich edit de textos, ferramentas melhores de administração, upload de imagens, criação de artigos mais rápida, sistema de importação aperfeiçoado, e o back-end foi completamente modificado. O WordPress 2.0 também trouxe vários aperfeiçoamentos para desenvolvedores de plugins.

Em 22 de Janeiro de 2007, outra atualização foi lançada, WordPress 2.1, com o codinome Ella da vocalista de jazz Ella Fitzgerald. Além de corrigir falhas de segurança, esta versão incluiu uma interface redesenhada e ferramentas de edição avançada, (incluindo auto-salvamento e correção ortográfica), novas opções de gerenciamento de conteúdo e várias otimizações de código e banco de dados.

Vulnerabilidades

Durante o mês de Janeiro de 2007, vários importantes blogs de Otimização para sistemas de Busca, bem como outros blogs comercias menores que usavam o Adsense foram o alvo de um ataque com um exploit do WordPress

Uma vulnerabilidade isolada em um dos servidores do site do projeto permitia que fosse introduzido um código em forma de back door em vários downloads do WordPress 2.1.1. A versão 2.1.2 corrigiu esta brecha na segurança; um aviso enviado conjuntamente com o lançamento alertou a todos os usuários que deveriam atualizar seus sistemas imediatamente.

Você deve estar alerta em relação a sítios que usam exploits em temas, como este: WordPress layouts

WordPress MU

O sistema suporta apenas um blog por instalação, apesar de que múltiplas cópias paralelas podem ser rodados a partir de diferentes diretórios, se configurados para utilizar diferentes tabelas no banco de dados.

O WordPress MU é um fork do WordPress criado para permitir a existência de vários blog simultâneos em apenas uma instalação. Ele torna possível a qualquer pessoa que tenha um sítio, hospedar sua própria comunidade de blogs, além de controlar e moderar todos eles a partir de apenas um painel de administração. Comunidades expressivas que usam o MU são o WordPress.com e a Universidade de Harvard.

Desenvolvedores

O desenvolvimento do WordPress é liderado por Ryan Boren e Matt Mullenweg. Mullenweg e Mike Little foram os co-fundadores do projeto.

Entre os colaboradores no desenvolvimento estão:

  • Dougal Campbell
  • Mark Jaquith
  • Alex King
  • Donncha O’Caoimh
  • Michel Valdrighi

Apesar de ser desenvolvido em grande parte pela sua comunidade, o WordPress é associado com a Automattic, onde alguns dos principais desenvolvedores do WordPress são funcionários.

Em parte desenvolvido pela comunidade, o WordPress tem entre estes os WP testers, um grupo de pessoas que testa os lançamentos voluntariamente. Eles tem acesso aos nightly builds, versões Beta e Release Candidates. Atualizando a essas versões, eles podem encontrar e reportar erros em uma lista de emails especial, ou na ferramenta Trac do projeto.

Além de um sistema de publicação de blogs

Através do uso de um misto de páginas estáticas, artigos do blog, plugins e temas, o WordPress é comumente estendido para oferecer mais do que é esperado de um blog. Comparado a outros CMS com mais funcionalidades, o WordPress é mais fácil de ser instalado e configurado, e plugins e temas grátis estão disponíveis para a maioria das funcionalidades que os usuários esperam. . Tipicamente um certo número de páginas estáticas com o conteúdo usual de um sítio são criadas e as funcionalidades de blog são utilizadas para apresentar notícias e outras ligações a cada intervalo de tempo.

WordPress.com

Alem do WordPress normal que roda em servidor próprio, existe também o serviço WordPress.com, onde você pode criar um blog gratuitamente, sem ter que contratar um serviço de hospedagem e instalar o WordPress no mesmo. É um dos concorrentes do Blogger, da Google. Apesar de ele se atualizar automáticamente, ao contrário do WordPress em servidor próprio, onde o dono do site tem que atualizar manualmente ( nas versões atuais, existe um aplicativo que atualiza sem precisar deletar tudo no FTP, mas mesmo assim precisa de alguem pra atualizar o mesmo ), ele possui algumas restrições, como não poder colocar outros templates a não ser os permitidos, não aceita aplicativos Adobe Flash externos sem ser de certos lugares, não permite instalação de plugins e entre outras coisas. Mesmo assim, é recomendado a usuários leigos que não desejam tentar instalar o WordPress em um servidor, apesar de vários serviços de hospedagem terem suporte a um autoinstalador do mesmo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: